Animais em Evidência

Marina Coimbra

Arquivo para a categoria “Matérias”

Garotinha Herói

Nas profundezas das ruas escuras de Istambul acontecia uma tragédia que quase ninguém percebia. Mas uma garotinha tinha o coração no lugar certo e logo se inteirou do ocorrido.

Esta miserável criatura estava dentro de uma lata de lixo em Istambul e gemia noite e dia.

As pessoas passavam diariamente pela gata e nem sequer a notavam.

Istambul tem mais de 14 milhões de habitantes e nenhum deles podia ajudar?

… mas infelizmente a cruel realidade. Até que uma garotinha de 7 anos ouve os fracos chamados de ajuda vindos do lixo e reage imediata e perfeitamente.

Por sorte, o pai da garota (cujo nome ainda não é conhecido) era médico e eles levaram o animal ferido a seu consultório o mais rápido possível.

Lá, uma enfermeira cuidou com carinho da pequena paciente. Não foi fácil, pois o focinho do bichano estava repleto de vermes e ácaros.

Além disso, uma das orelhas e o próprio focinho estavam totalmente desfigurados. Ela provavelmente tinha sido vítima de outros gatos vira-lata.

Com muito amor e dedicação, os salvadores conseguir com que a fraca criatura voltasse à vida. A garotinha que a salvou deu a ela o nome de Gülümser. Traduzindo do turco para o português: aquela que sempre sorri. Tão carinhoso e adequado!

Aqui uma foto do par inseparável no único registro existente da pequena salvadora. Eles foram desde o primeiro momento uma só alma e um só coração.

Após apenas algumas semanas, Gülümser já estava claramente no caminho da recuperação. As feridas cicatrizaram e até mesmo o pelo voltou lentamente a crescer.

Um milhão de obrigados à pequena salvadora desconhecida. Se ela não tivesse ajudado tão rapidamente, Gülümser não estaria mais entre nós. Que atitute fantástica!

É difícil ver adultos realizarem feitos tão nobres quanto o desta garotinha. Tão pequena e já uma salvadora de vidas. Um verdadeiro modelo para as outras pessoas.

Anúncios

Anúncio de cerveja vira fenômeno na web ao mostrar amizade entre cão e cavalo

cerveja_eua_planeta_bicho (Foto: Reprodução/YouTube)

Se você tem um perfil no Facebook, deve ter visto dezenas de amigos seus compartilhando o vídeo da Budweiser nas últimas 24 horas. O comercial, lançado pela marca de cerveja especialmente para a liga de futebol americano Super Bowl deste ano, mostra a amizade entre um filhote da raça labrador e um cavalo. Os animais vivem em uma fazenda nos EUA e fazem de tudo para ficar juntos.

Em apenas um dia, o vídeo de 60 segundos foi assistido por mais de 22,3 milhões de pessoas. Fenômeno na web, o comercial agradou – e levou às lágrimas – internautas das mais variadas idades, dos maisdiversos lugares do mundo.

A trilha sonora ajuda na comoção. Enquanto o cãozinho enfrenta obstáculos para ficar perto de seu amigo, a banda Passenger interpreta “Let Her Go”.

Assista:

Devido ao grande sucesso do vídeo, a Budweiser divulgou também o making of do comercial. Abaixo, você confere cenas dos bastidores e entende como os animais foram treinados para executar cada cena do anúncio, cuja produção custou aproximadamente R$ 10 milhões:

Cientista mistura genes e cria gato com aparência de lobisomem e comportamento de cão

gato01

O telefone de Johnny Gobble não para de tocar. Isso porque o norte-americano, cientista e criador de gatos, é o respons

ável pelo desenvolvimento de uma nova raça de felinos domésticos: a Lykoi.

Misturando genes de raças distintas,

Gobble criou um gatinho com aparência de lobisomem e comportamento dócil de cão.

O cientista, no entanto, faz questão de deixar claro que não houve intervenção humana na criação da raça. “Estou simplesmente usando a genética dos processos naturais”, disse Gobble sobre sua experiência, que está recebendo críticas de defensores dos animais.

Um site oficial foi criado pelo americano para esclarecer qualquer dúvida que possa surgir a respeito do novos gatos.

De acordo com Gobble, quando os primeiros gatinhos da raça Lykoi nasceram, especialistas da Universidade do Tennessee os examinaram para verificar a presença de doenças ou anomalias genéticas. Após a confirmação de que os animais eram completam

ente saudáveis, outros criadores foram convidados a investir na reprodução da raça.

Atualmente, 14 gatos do tipo Lykoi vivem nos Estados Unidos. Gobble aguarda uma resposta dereconhecimento da nova raça pela “The Cat Association International” para começar a vender os animais.

O criador já sabe que, se autorizada, a novidade fará grande sucesso entre os apaixonados por gatos. Ele recebe cerca de dez ligações por dia de interessados em adquirir um Lykoi.

gato02

gato03

gato05

gato07

Existem tecidos resistentes a animais de estimação?

mimi

 

Quem tem animais de estimação em casa sabe bem que não é uma tarefa fácil manter a casa organizada todo tempo e os móveis inteiros e conservados. Fugir dos pelos soltos no sofá e nas almofadas é uma luta, os furos e fios desfiados das cortinas e das poltronas então! Sem falar das mordidas nos pés das mesas e cadeiras. Já estão se identificando, né?

Foi pensando em trazer soluções para os amantes da bicharada, que destacamos algumas dicas e opções para que você viva em perfeita harmonia na sua casa. Veja:

Sofás, poltronas e almofadas
Atualmente existem muitas opções de móveis e decorações modernas e sofisticadas para aqueles que desejam compartilhar da companhia de seus animais de estimação e ao mesmo tempo manter a beleza e elegância do seu lar.

Os sofás e as poltronas são os alvos mais desejados por eles, portanto são os mais judiados. O ideal é escolher móveis com tecidos mais resistentes e laváveis, dê preferência aos impermeáveis; algumas opções como a camurça, o couro, principalmente o cru ou o gorgurão teflonado, resistem bem às travessuras. Se preferir os sintéticos, que são mais econômicos, uma boa opção é o tecido náutico e até mesmo a camurça.

A sensação do momento são os móveis confeccionados com uma linha especial de tecidos chamada Acquablock, que além de impermeável é anti arranhões de gato. Segundo o estofador José Eudes Ferreira é uma ótima opção para revestir seus móveis danificados ou fazer capas para os móveis e almofadas com esse material.

Muita atenção! Evite os tecidos que possuem fibras mais abertas, como Chenille, Jacquard e tecidos a base de Juta, pois são ideais para nossos amigos felinos afiarem suas unhas.

Tapetes e Carpetes
Quantas vezes você já teve que trocar o tapete da sua sala ou quarto por causa das manchas, buracos ou dos desfiados? Essas ferinhas que tanto amamos adoram fazer bagunça por toda casa. Quem tem animais de estimação, o jeito é escolher tapetes confeccionados com materiais resistentes, fáceis de limpar e com cores mais escuras ou estampados, para disfarçar os pelos e as possíveis manchas.

Opte sempre por materiais com fibras sintética, que são mais econômicos do que as fibras naturais. Há várias opções no mercado de tapetes fabricados com nylon, polipropileno acrílico e poliéster, alguns ainda possuem um revestimento que os tornam mais resistentes a nódoas e sujidades.

Se desejar uma solução mais sustentável, que tal um tapete feito com plástico reciclável? Além de serem muito resistentes e fáceis de limpar, são exclusivos em cor e textura. 

Cortinas
Para evitar que os bichanos danifiquem as cortinas quando escalam ou evitar o cheiro de urina quando demarcam a casa toda, os tecidos mais indicados são os de Brin, Sarja, Lona de algodão e até mesmo o Acquablock, que mistura algodão e poliéster, pois eles são resistentes e fáceis de lavar.

Dica para eliminar o cheiro de xixi e os pelos de animais
Após retirar o excesso do xixi com um papel absorvente você pode:

– Aplicar sobre o local uma mistura de água, limão e bicarbonato de sódio. Não desbota o tecido;
– Espalhar no local vinagre branco e maisena. Deixar por aproximadamente 4 horas, e depois retirar com aspirador de pó;
– Aplicar sobre o local uma mistura de álcool e vinagre em partes iguais e esfregar com um pano.
– Aplicar o Removedor de Odores no local, não é necessário enxaguar nem secar com pano.

Uma maneira fácil de retirar os pelos do ambiente e das roupas é utilizar uma luva de Pvc, aquelas utilizadas para limpeza. Basta colocar nas mãos e esfregar no local desejado, você vai se surpreender na quantidade de pelo que irá remover.

Existe também em lojas especializadas rolos adesivos para remover pelos, são práticos e consegue eliminar até os mais fininhos.

Vale lembrar que é sempre bom procurar alternativas que desviem a atenção de seu amigo de estimação, investindo em alguns produtos como tapetes higiênicos, arranhadores, almofadas e caminhas de dormir, que proporcionam bem estar ao animal e diminuem a bagunça.

Como reduzir o estresse do animal durante queima de fogos de artifício

fogos Cachorros e gatos odeiam fogos de artifício. Com a chegada do fim do ano e as queimas frequentes de fogos, os animais entram em desespero. Isso acontece porque eles têm uma capacidade auditiva cerca de quatro vezes maior que os humanos, portanto, qualquer barulho mais forte pode ser ensurdecedor para eles.

E para amenizar o medo e estresse dos animais o melhor é pegar o animal no colo, abraçá-lo e consolá-lo, certo? Errado, adverte a veterinária Karina Mussolino, coordenadora técnica da Pet Center Marginal. “Nessa tentativa de acalmá-los acabamos estimulando o medo, pois assim o animal passa a associar aquele momento a algo ruim. O ideal é o tutor agir de forma natural, brincar com o animal, entretê-lo com seu brinquedo favorito, fazer festa, como se nada estivesse acontecendo”, recomenda a especialista.

Cães e gatos costumam se esconder nesses momentos de medo, por isso é importante deixá-los livres para essas fugas inesperadas, deixá-los soltos da coleira (em alguns casos eles podem ficar rodando em círculos e até se enforcar) e manter o espaço livre para que não se machuquem. “No caso dos gatos, é comum que sumam da vista dos tutores. Se a casa ou o apartamento forem seguros, com redes nas janelas e portões fechados, deixe o bichano por lá, evite chamar para não estressá-lo mais”, aconselha.

O susto nos animais merece atenção dobrada dos tutores, pois há casos de animais que passam realmente mal. “Há desde pacientes que convulsionam a animais que morrem por sofrerem parada cardiorrespiratória devido ao estresse ocasionado pelo barulho excessivo”, ressalta. “Cães e gatos, que já tenham histórico de doença cardíaca, devem ter cuidados especiais nessas situações. É importante que o tutor converse com o veterinário do animal para evitar tristes surpresas”, informa.

Uma das formas de evitar que seus animais sofram é trazê-los para dentro de casa, onde o som é mais abafado e há espaço para se esconderem. Também não é recomendado deixá-los sozinhos nesta época. Em caso de viagens, é aconselhável deixá-los com parentes, vizinhos ou em hotéis especializados.

Em muitos casos, é possível usar florais de bach para acalmá-los nesses momentos mais tensos. É interessante que o tutor seja precavido, leve o animal à consulta rotineira ao veterinário e converse com o médico sobre essa possibilidades. “A automedicação deve ser evitada de qualquer forma. Muitos medicamentos humanos são perigosos e podem matar os animais quando usados de forma indevida”, alerta a Dra. Karina.

Esses cuidados também podem ser estendidos para os dias de fortes tempestades com trovões, que também costumam aterrorizar os animais. Alguns sites especializados em comportamento canino, como o aboutdogs.com, recomendam uma terapia de dessensibilização dos animais em relação aos sons de fogos e trovões, fazendo com que sejam expostos a esses sons continuamente, com áudio gravado de tais barulhos.

Fonte: Consumidor Moderno

O resgate e a transformação

ATENÇÃO: antes de qualquer coisa, pegue um lenço, ou não diga que eu não avisei.

Trata-se do resgate e da transformação de uma cadelinha que vivia nas ruas, mais precisamente num lixão, totalmente abandonado. Uma condição indigna para qualquer ser vivo. Ela já vivia ali havia meses. O estado em que ela foi encontrado era tão lamentável que ela nao parecia esboçar qualquer reação, completamente sem forças. Certamente mais uns dias ali e teria morrido. E até mesmo um cão é capaz de mostrar gratidão, coisa que a maioria dos humanos parecem não conseguir.

Por sorte ela foi encontrada por boas pessoas, que deram o carinho e o tratamento adequado que um cão merece. Muitos cães não tem a mesma sorte dela. Antes de ter um cachorro, pense em adotar um dos milhares de cães abandonados ao invés de comprar. Amigos não tem preço.

Cão visita garotinho em coma todos os dias e é chamado de “perigoso”

Dylan Gerzmehle, de 10 anos, está em estado vegetativo desde o seu nascimento. O garotinho alemão vive em um hospital de Berlim, na Alemanha, na companhia de Tascha, um cão da raça staffordshire terrier.

Segundo a família da criança, o cachorro é responsável por acalmar o menino. Mas a presença do animal no hospital tem incomodado autoridades do país, que declararam que o cão pode representar perigo tanto para o menino quanto para outros pacientes que frequentam o lugar.

O bichinho já acompanha Dylan há seis anos e a família nunca havia recebido um pedido formal para impedir a presença do cão no local. Tascha costuma dormir, brincar e comer ao lado da criança.

Diante da possibilidade do cachorro ser proibido de ver e ficar com o menino, parentes e amigos decidiram apelar para a web para chamar a atenção para a importância do animal no tratamento do alemão.

Neste fim de semana, uma página no Facebook foi criada para contar a história da amizade entre o cão e o menino. O objetivo é impedir que eles sejam separados. Mais de 170 mil pessoas apoiaram a campanha em menos de 48 horas. Veja AQUI.

1

2

3

Revista relata maus tratos e mortes de animais em produções de Hollywood

globo

Uma reportagem desta segunda-feira do “Hollywood Reporter” apresenta evidências de que a American Humane Association (AHA), organização responsável por supervisionar o tratamento dispensado a animais nas gravações de filmes e programas de TV, abafou, sistematicamente, casos de maus tratos e mortes, tudo para preservar as relações com poderosos produtores de Hollywood. O texto explica como o grupo se tornou “parte da indústria que deveria regulamentar”.

De acordo com a publicação, que manteve a maior parte das fontes sob anonimato, um treinador deu socos em um cachorro no set de “Resgate abaixo de zero” (2006), filme da Disney estrelado por Paul Walker; um esquilo foi esmagado nas filmagens da comédia romântica “Armações do Amor” (2006), com Matthew McConaughey e Sarah Jessica Parker; e dezenas de ovelhas e cabras morreram em “O Hobbit: Uma jornada inesperada”. Treinadores já haviam denunciado a morte de bichos nos bastidores do épico de Peter Jackson.

“Em 2003, a AHA optou por não comentar publicamente a respeito das dezenas de peixes e lulas mortos que apareceram na praia durante quatro dias de filmagens em ‘Piratas do Caribe: A maldição do Pérola Negra'”, diz a reportagem, intitulada “Animais foram feridos: O pesadelado exposto de Hollywood sobre morte, lesão e sigilo”. “Funcionários não tomaram nenhuma precaução para proteger a vida marinha quando ativaram explosões no oceano, de acordo com o representante da AHA presente no set.”

A AHA — financiada pelo SAG-AFTRA (sindicato de atores) e pela associação comercial Alliance of Motion Picture and Television Producers, que representa os estúdios — argumentou que os incidentes aconteceram de maneira não intencional ou “não relacionadas ao trabalho”.

O “Hollywood Reporter” relata ainda as mortes de uma “girafa idosa” no set de “O zelador animal” (2011), com Kevin James, e de um tanque inteiro de peixes em “O filho do Máscara”. O tigre usado em “As aventuras de Pi” (2012), que rendeu o Oscar de direção a Ang Lee, teria quase se afogado — embora o animal tenha sido recriado em computação gráfica na maior parte das cenas, um modelo real foi necessário em determinados momentos. Os jornalistas obtiveram um e-mail em que uma monitora da AHA, Gina Johnson, relata o acidente para uma colega, e acrescenta, em letras maiúsculas: “NÃO CONTE ISSO PARA NINGUÉM, ESPECIALMENTE PARA O ESCRITÓRIO!”.

Segundo um processo da ex-chefe de produção da Film & TV Unit, Barbara Casey, a AHA também teria concordado em abafar a morte de um cavalo em “Cavalo de guerra”, para “proteger Steven Spielberg, uma das pessoas mais notáveis e com mais influência na história de cinema”, e também para evitar o “grande volume” de atenção que a notícia receberia da imprensa.

Fonte: globo.com

Por que Beagles são usados em testes?

beagle1

 

A principal razão para os Beagles serem os animais mais explorados em testes laboratoriais está vinculada à sua personalidade dócil, amigável e perdoadora. Eles convivem bem em matilha, gostam de agradar e, por conta do seu tamanho, os animais são relativamente econômicos para se alimentar. No entanto, com esta raça, que gosta de latir e fazer barulho, os laboratórios ao redor do mundo normalmente realizam procedimentos para silenciar as cordas vocais de cada animal e reduzir a altura dos latidos.

Normalmente os animais utilizados nos testes são manuseados por métodos estressantes e cruéis, feitos por meio de toques, cortes, sedações, injeções e outros instrumentos. E uma vez dentro do laboratório, os Beagles várias vezes são sacrificados depois que os testes são efetuados.

Estima-se que apenas nos Estados Unidos cerca de 70 mil beagles sejam explorados em testes de laboratórios. No Brasil, o Instituto Royal é o que mais contém casos de cães envolvidos em testes.

Fonte: Linkanimal

Contra o uso de animais pelo Instituto Royal

petição

Assinem a Petição!!!
Essa crueldade tem que acabar!

https://secure.avaaz.org/po/petition/MANIFESTATION_ROYAL_INSTITUTE/?pv=36

Navegação de Posts